VIDA DE ATLETA E PROFISSIONAL: MISSÃO POSSÍVEL?

Compartilhe

Valery Mello, maratonista, contadora e mãe, mostra que um dia a dia corrido não impede ninguém de praticar atividade física 

Ser mãe, esposa e executiva toma muito tempo e pode parecer impossível sobrar espaço na agenda para cuidar do corpo e da saúde, não é verdade? Mas Valery Mello, atleta amadora que vem ganhando fama nas redes sociais, mostra-nos que basta ter disciplina e força de vontade para transformar seu corpo e sua vida. 

Aos 35 anos e casada há 13, Valéria é mãe de uma garota de 8 anos e trabalha como contadora. Em 2009, após sua gravidez, quando ganhou 20 quilos, permanecia 6 acima do peso e com o abdômem sem músculos. Decidida, Valery resolveu mudar de vida. Hoje, além de um corpo bonito e saudável, ela já conquistou outras vitórias: já completou 5 maratonas, diversas meias maratonas, pódios em grandes corridas e mais de 95 mil seguidores no Instagram. Confira a entrevista!

Revista Performance Science Nutrition Informa - Como foi seu início no esporte? Por que começou a correr? 

Valery Mello – No início de 2013 eu estava muito insatisfeita com o meu corpo e numa promessa de final de ano, resolvi que iria começar a correr bem cedo e treinar musculação na hora do meu almoço. Em abril, uma amiga me chamou para participar de uma corrida de 10K e em maio fui com ela e conheci a assessoria de corrida. Enquanto corria, percebi que aquele era o meu lugar no mundo! Senti tanto prazer que fiz minha matrícula na assessoria no mesmo dia. Com 5 meses de treinamento participei da maratona de SP e mesmo sentindo muitas dores, ao completar os 42,195 km, senti muito orgulho em terminar a prova.

Revista PSNI - O que o esporte representa em sua vida? 

Valery Mello – O esporte dá sentindo a minha vida. Tenho trabalho, família, vida normal, mas quando corro, eu sou atleta. Quero correr todas as grandes maratonas, sendo que já completei Boston e Chicago. Sempre gostei e pratiquei esportes, mas não seguia uma rotina. 

Corrida é meu remédio. Conheço muitas pessoas em depressão, ou que não sabem o que estão fazendo de suas vidas, ou que nada as faz feliz. Hoje eu sinto que tenho um propósito e isso é algo bem pessoal. Eu sei onde quero chegar e já conquistei algumas coisas que eram apenas sonhos, como viajar para Chicago e correr uma maratona como atleta da Nike. Mas obviamente não é isso que me faz levantar todos os dias e treinar, o prazer que sinto em concluir um bom treino me mantém sempre tranquila.

Revista PSNI - Como é seu dia a dia de treino? 

Valery Mello – Treino todos os dias da semana, seguindo a sequência:

Segunda – musculação e natação

Terça – corrida, bicicleta e musculação

Quarta – musculação e natação

Quinta – corrida, bicicleta e musculação

Sexta – natação

Sábado – corrida longa

Domingo – corrida regenerativa

Revista PSNI – Como é sua alimentação?

Valery Mello - Sigo uma dieta low carb com acompanhamento do nutricionista Marco Jafet. Essa dieta tem como objetivo manter o corpo ativo e próximo às corridas, aumento a ingestão de carboidratos.

Revista PSNI - Você tem outra profissão além de atleta. Como conciliar estas vidas? E a família?

Valery Mello - Sou contadora e tenho um escritório de contabilidade. Além disso, tenho uma filha de 8 anos e sou casada há 13 anos. Meu marido me ajuda muito e cuida da nossa filha enquanto estou nos treinos, mas todo cuidado da casa é feito por mim. Comida, mercado, cuidados com a escola da nossa filha etc. O segredo é fazer uma coisa de cada vez.

Eu costumo dizer que giro pratinhos. Tento manter todos os pratos girando em equilíbrio e em constante movimento. Para mim, o único prato que não me perdoaria em deixar cair e quebrar é o da família. Mas alguns são importantes também, como o trabalho e o esporte. É claro que algo sempre fica para trás e atualmente tenho sentido falta dos cuidados de mulher. Fazer a unha, cabelo, uma simples hidratação. Com a rotina pesada, acabei relaxando um pouco. Mas sempre é tempo de mudar.

Revista PSNI - De quais maratonas você já participou? Quais prêmios conquistou? 

Valery Mello - São 5 maratonas: 2013 SP, 2014 SP, 2015 Rio de Janeiro, 2016 Boston e Chicago e 2017 ainda vou definir. Meus melhores tempos são: 42 quilômetros em 3h14, 21 km em 1h34, 10 km em 41 minutos e 5km em 19 minutos. Já estive também em muitos pódios de provas pequenas e maiores.

Revista PSNI - Como foi sua preparação para as maratonas de Boston e Chicago? 

Valery Mello – Em Boston, o desafio foi vencer todos os meus medos. Meu marido estava desempregado, veio trabalhar comigo, mudamos o nosso escritório de contabilidade para São Bernardo, onde eu moro e eu não sabia se conseguiria pagar todas as contas. No dia que o nosso plano de saúde acabou, eu chorei muito e me senti uma perdedora. Nunca havia ficado sem cobertura e me senti muito sozinha. E no dia seguinte, na planilha tinha 30 km para correr. Engolia o choro e completava a planilha. No final, sempre me sentia mais forte e pensava: “Viu? Ninguém morreu! Você está bem, Deus está cuidando de tudo, faça sua parte que tudo vai dar certo”. E sempre dava. Não consegui concluir a prova no tempo que desejava, terminei em 3h37m, mas aproveitei cada segundo e conheci Boston e Nova York.

Recebi o convite para correr em Chicago faltando dois meses para a prova. Tinha voltado de Boston há 3 meses e estava treinando para terminar uma meia maratona entre as vinte primeiras mulheres, então foi só continuar. Meu treinador me acompanhou de perto e me convidou para ir treinar na academia onde ele treinava e dava aulas. O problema é que começávamos as 5h30 da manhã. Também incluímos treinos de natação além da corrida, musculação e bike.

Revista PSNI - Quais são suas metas para o futuro? 

Valery Mello – Quero melhorar meus tempos nas provas de 10 e 21 quilômetros. Além disso, quero completar todas as Majors, as maratonas mais importantes do mundo - Boston, Chicago, NY, Berlin, Tokyo, Londres.

Revista PSNI - Que conselhos dá para quem está começando a correr agora? 

Valery Mello - Encontre um bom treinador e siga uma planilha. É importante ter orientação para não se machucar e ter de abandonar os treinos. Inicie com distâncias menores, 5, 10, 15 quilômetros e vá aumentando progressivamente. Faça inscrições de algumas corridas para ter sempre uma prova para manter-se treinando.